Sessão Solene enaltece os 500 anos da Reforma Protestante e a religião

35

Tendo como palco o salão de atos do Polo de Cultura, a Câmara Municipal de Vereadores realizou na noite desta terça, a Sessão Solene que enalteceu os 500 anos da Reforma Protestante e a religião. Como orador, o vereador proponente da mesma, Flavinho Barcellos.

Na plateia, a presença de fiéis, amigos, convidados, estudantes e autoridades. Ainda dentro das programações da noite, a entrega de certificados para entidades pelos relevantes serviços prestados ao município de Erechim e para estudantes que ganharam concurso de redação que retratou o tema.

Entre setembro e outubro, dentro das comemorações dos 500 anos da Reforma Protestante, o Conpai, com o apoio da Câmara de Vereadores, juntamente com o vereador Flavinho Barcellos, realizaram um concurso de redação, com o tema 500 anos da reforma e a educação.

O concurso franqueado a todas as escolas do município teve o apoio organizacional da Secretaria de Educação e Cultura e da 15ª Coordenadoria Regional de Educação. Desta forma, três alunos da sétima série que se destacaram receberam tabletes, como os professores orientadores e diretores de escolas participantes.

Na abertura dos trabalhos, após apresentação cultural, Flavinho resgatou o fato de que o século XVI foi marcado por uma série de transformações na sociedade, como a ascensão burguesa, a intensificação do comércio, a expansão colonialista e a explosão das ideias humanistas. “Outro acontecimento importante que contribuiu para mudar a história ocidental é identificado como “Reforma Protestante”.

“A situação religiosa e econômica da Alemanha no início do século XVI era crítica. A alta carga de impostos e a interferência do alto clero em assuntos religiosos e políticos eram consideradas opressivas. A administração dos negócios da Igreja, sob o comando papal, era marcada por conflitos e altamente onerosa, por isso recebia duras críticas em virtude do seu modelo”.

O marco inicial da Reforma Protestante acontece em 31 de outubro de 1517, quando o monge Martinho Lutero afixa suas 95 teses na porta da catedral de Wittenberg. Um estudo das 95 teses luteranas indica como

objetivo principal a reforma do catolicismo, para que este corrigisse, na visão dos reformistas, sua caminhada e se pautasse nas leis de Deus.

Para ele, a Igreja não estava preocupada com o que deveria ser seu principal objetivo. A partir dessa iniciativa, outros líderes promoveram ações que foram consideradas reformistas, como as Reformas Calvinista, Anglicana e a Anabatista.

“O movimento da Reforma cria a base de uma nova religiosidade, o protestantismo. Vários discursos são criados a partir de uma base única, ou seja, Deus age em favor do homem e de sua salvação pelo envio de seu Filho, Jesus Cristo, para ser o Salvador da humanidade. O homem tinha de corresponder à ação de Deus pela fé em Cristo, e só pela fé. Isto é, tinha de colocar sua vida, em entrega livre e voluntária, sob a supremacia de Jesus”.

Flavinho aponta que percebia-se a necessidade de uma nova religião mais sensível e que não fosse tão mal compreendida e mal conhecida. “Uma vertente do pensamento humanista investe na reflexão acerca do papel da Igreja e das verdades que ela pregava”.

“Lutero via claramente a importância fundamental da educação universal para a Reforma e a preconizou insistentemente em suas pregações. O ensino deveria chegar a todo o povo, nobre e plebeu, rico e pobre; deveria beneficiar meninos e meninas – avanço notável; finalmente, o Estado deveria decretar leis para frequência obrigatória Enfim, a contribuição da Reforma Protestante para a educação foi significativa. Seus líderes, de modo geral, não estavam preocupados somente com a formação espiritual dos crentes, mas buscavam também uma base cultural sólida. Uma instrução tal que pudesse levar os indivíduos a serem úteis não somente ao serviço sagrado, mas também à sociedade”.

“Os protestantes, assim designados os que aderiam ao movimento liderado por Martinho Lutero, não ficam estagnados quanto à questão educativa e são fundamentais para a formação da pedagogia que encontramos até hoje. A questão protestante estava diretamente ligada à educação. Influencia a educação quando produz uma reestruturação no sistema de ensino alemão, inaugurando uma escola moderna. A ideia da escola pública e para todos, organizada em três grandes ciclos (fundamental, médio e superior) e voltada para o saber útil nasce do projeto educacional de Lutero”.

Flavinho ressalta que Lutero faz duras críticas aos pais por negligenciarem o dever sagrado de educar os filhos. Seja pela falta de piedade e honestidade, seja pela falta de formação dos próprios pais, os

filhos eram privados de se desenvolverem intelectual e espiritualmente. Outra crítica apresentada por Lutero referia-se ao pouco tempo que os pais dedicavam à educação dos filhos. As escolas surgem como um importante alternativo para essa realidade.

“O Humanismo e o Renascimento aceleraram a produção literária e promoveram as transformações na época. Valendo-se disso, Lutero, ao romper com a Igreja Católica e ser acolhido pelos príncipes locais, traduz a Bíblia para o alemão. Todo distanciamento imposto acaba, e o cidadão a partir da tradução das Escrituras, passa a ter viabilidade de interpretação individual de sua fé”.

A Bíblia torna-se o livro mais lido da Europa no século XVII. Na Inglaterra, uma erupção religiosa aparece nos campos sociais, incluindo a preocupação com a educação. A possibilidade de discussão leva as pessoas a questionar e refletir sobre as novas possibilidades de respostas aos dramas da existência. Isso alimentará o discurso a respeito da igualdade, da liberdade e de futuras revoluções. Paralelamente, o contexto social estava se transformando e as mudanças iam muito além da questão religiosa.

Você pode gostar também

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.