Empresários na contagem regressiva para ir embora

Alguns empresários de nossa cidade estão cansados de esperar pelas promessas de implantação da infraestrutura do Distrito Industrial David Zorzi, na saída para Concórdia, e já iniciaram contagem regressiva para deixar Erechim se uma solução não surgir até o final do ano. Parte deles teria proposta para levar sua indústria para o vizinho município de Três Arroios ou Santa Catarina.

“O dito contrato de parceria com as empresas interessadas a se instalar neste local até hoje não saiu do papel e da promessa. Já ouvi na Rádio Cultura, várias vezes, membros do governo falando de que as obras iriam iniciar, desde o primeiro trimestre desse ano falam isso e até agora o projeto não saiu do papel. Se até o início do próximo ano não tiver nada de concreto, não tem mais como esperar e devemos buscar um novo local para investir”, me relatou um dos empresários.

Com certeza o projeto de parceria público-privada para implantar a infraestrutura é uma boa iniciativa, se der certo, mas para as empresas que tem necessidade de ter um local próprio ou de ampliar sua indústria, o prazo está ficando longo demais. Na semana que passou o secretário Roberto Fabiane, o “primeiro-ministro” do governo Schmidt, esteve na redação da Rádio Cultura e relatou o seguinte quando questionado sobre o assunto: “A minuta do convênio e dos contratos já está pronta e foi encaminhada para redação final, posteriormente será publicado o edital”.

Mas quando questionado sobre qual seria a previsão para o início das obras no Distrito Industrial, desconversou. “Quem tem que falar sobre esta parceria é o secretário Barp, mas como estou acompanhando todo o processo, o mais rápido possível. Eu não gosto de estabelecer uma data, mas acredito que até o fim do ano”. Diante disso procurei o secretário do Desenvolvimento Econômico, Altemir Barp, para saber quando deve sair o edital. “Já está praticamente pronto, só faltam alguns ajustes com relação ao contrato e dentro de poucos dias deve ser publicado, e se não tiver nenhum problema, até o final do ano estará liberado para que as empresas iniciem as obras de infraestrutura”, respondeu.

Por Egidio Lazzarotto

 

Comentários estão fechados.