HC realiza Assembleia Geral e reforça papel fundamental no enfrentamento à COVID-19 na região

Em assembleia geral ordinária, associados do Hospital de Caridade aprovam por unanimidade balanço fiscal de 2020

Get real time updates directly on you device, subscribe now.

O Hospital de Caridade de Erechim nasceu sob o signo da solidariedade, há quase 87 anos. Ao longo do tempo, a instituição fundada em 10 de maio de 1934 tem se consolidado como peça-chave para o sistema sanitário do Norte do Rio Grande do Sul, colaborando com sua atuação, também, para a manutenção de aspectos socioeconômicos que impactam o cotidiano e a vida das pessoas. Esse entendimento pautou a assembleia geral ordinária do HC realizada na noite de terça-feira, 30. Além da aprovação unânime das contas do exercício fiscal de 2020, os associados também fizeram um balanço de um ano de atuação do hospital na pandemia.

2020, um ano desafiador

Como já vinha acontecendo em outras partes do mundo, a chegada do novo coronavírus ao Alto Uruguai, em março de 2020, promoveu um grande impacto. O HC, ciente da sua responsabilidade perante a comunidade, voluntariamente se reestruturou para poder lidar com a nova e desconhecida doença.

Ainda em março do ano passado, estabeleceu uma estrutura de crise, formada por um Comitê de Enfrentamento da COVID-19 e dois subcomitês: de Saúde Ocupacional e EPIs; e de Orçamento e Finanças.

Uma das primeiras medidas foi a abertura do Centro de Atendimento para COVID-19, destinando leitos de UTI e de Unidade Clínica para o cuidado a pacientes com diagnóstico ou suspeita da doença, fator determinante para que a região alcançasse patamares aceitáveis de atendimento. O Centro foi alocado em uma área exclusiva e restrita, dispondo de profissionais qualificados e experientes, bem como de recursos tecnológicos e assistenciais avançados para o tratamento dos pacientes.

Houve também cuidado especial com os profissionais, que além de disporem de todos os EPIs necessários, foram capacitados para se protegerem, preservando sua saúde e com isso tendo mais segurança para o trabalho.

Paralelamente, assim como ocorreu em muitos hospitais, a chegada da nova doença provocou redução do atendimento em outras áreas e serviços assistenciais, especialmente de caráter eletivo. Isso gerou impacto nas receitas, reduzindo-as. O cenário, por outro lado, demandou mais investimentos em equipamentos e insumos – que viram seus preços subirem astronomicamente -, e a ampliação da equipe de trabalho, por meio da contratação de mais profissionais da saúde, inclusive equipe médica.

Para fazer frente à realidade, o HC elaborou e implementou um Plano de Contingência Econômico-Financeiro, que foi responsável, ao final do ano, pela recuperação do seu equilíbrio econômico-financeiro. Foram mais de 60 medidas implementadas.

Apesar de ter seu plano de investimentos contido em 2020 devido à pandemia, o HC encerrou o ano com investimento de R$ 1,8 milhão, envolvendo a aquisição de novos equipamentos cirúrgicos, equipamentos para a UTI COVID-19, melhorias em TI e na estrutura física. Do valor total investido, R$ 450 mil tiveram origem em doações, sendo a principal voltada à instalação de um sistema de energia fotovoltaica.

O HC encerrou 2020 com 492 funcionários ativos e 255 médicos no corpo clínico. A gestão de pessoas foi um grande desafio no ano que passou, pois todas as pessoas foram impactadas pessoal e profissionalmente pela pandemia.

Recursos para atuação na pandemia

Para poder enfrentar o novo coronavírus, o HC se valeu predominantemente de recursos próprios, uma vez que recebeu apenas R$ 11,8 mil de recursos públicos federais, não tendo recebido recursos estaduais e municipais. Já de entidades, como ACCIE/Coder, Sicredi, Cresol e AMAU, o Hospital recebeu R$ 270 mil de doações para aquisição de equipamentos para UTI COVID-19, e EPIs para uso dos profissionais. Diversas empresas e entidades também contribuíram com a doação de máscaras, viseiras, luvas, álcool gel e outros EPIs.

R$ 10,99 milhões em Filantropia

Os atendimentos realizados em caráter filantrópico não sofreram qualquer interrupção; pelo contrário. Cumprindo sua atuação de entidade filantrópica, em 2020 o HC aplicou R$ 10,99 milhões, o equivalente a 23,46% da receita, na prestação de serviços gratuitos à comunidade carente, com atendimentos de internação e ambulatoriais. Esta atuação acaba por contribuir, complementarmente, ao atendimento do SUS.

Um ano de pandemia

Fazendo um balanço da atuação na pandemia, o HC – responsável por atender cerca de 40% dos casos – contribui de forma decisiva para a cidade de Erechim e a região Alto Uruguai. Primeiramente, proporciona estrutura de saúde para pacientes acometidos pela doença, possibilitando a salvaguarda de vidas. Essa estrutura ofereceu condições para reduzir as restrições do modelo de distanciamento controlado do governo do RS (sistema de bandeiras), viabilizando maior atividade econômica, garantindo renda e o sustento de muitas famílias.

Desde o início, o HC preocupou-se com o fornecimento de informações corretas à sociedade. Para tanto, disponibilizou em seu site orientações sobre a doença, além de participar de campanhas e informes. Também elaborou e publica dois boletins: um diário, com informações sintéticas sobre os pacientes internados, e outro semanal, com informações epidemiológicas.

Em um ano de pandemia, o HC atendeu 4.126 pacientes confirmados com COVID-19, sendo que 400 foram internados. Através de indicadores, é possível demonstrar que:

#•45% dos casos são do sexo masculino e 55%, feminino;

#•A faixa etária com o maior número de casos está entre 21 e 50 anos;

#•Os principais fatores de risco dos pacientes atendidos são a idade superior a 60 anos, hipertensão, diabetes e obesidade;

#•A idade média do paciente em UTI está em 65 anos.

#•O total de óbitos ocorridos na instituição, de 51, indica taxa de letalidade de 12,8% dos internados. Em casos graves de UTI, a letalidade chega a 45%.

# Atualmente o HC dispõe de 12 leitos de UTI e 19 leitos Clínicos para atendimento à COVID-19.

Para o diretor presidente do HC, Cláudio Rogério Galli, o superintendente geral, Claudiomiro Carus, e administrador Éder Iogue Wilhelm Spitcza, 2020 foi marcado pelo desafio, pela velocidade de decisão, resiliência, superação e a busca da preservação de vidas. Os três também fazem um agradecimento especial aos profissionais de saúde da instituição, que, incansáveis, definitivamente fazem a diferença com sua competência e dedicação na luta diária para salvar vidas.

O HC segue firme com seu propósito, cumprindo papel fundamental no sistema de saúde regional, buscando a excelência, promovendo um atendimento com humanidade, qualidade, segurança e resolutividade. E tudo isso sem perder de vista o equilíbrio entre receitas, despesas, investimento e resultado.

Por Assessoria de Comunicação 

Get real time updates directly on you device, subscribe now.