Defrec investiga tiroteio no CEU do Progresso

291

I

A equipe da Delegacia Especializada em Furtos, Roubos, Entorpecentes e Capturas (Defrec) de Erechim, sob coordenação do delegado Gustavo Vilasbôas Ceccon, está investigando a troca de tiros ocorrida na tarde da última terça-feira (24), na Praça do Centro de Artes e Esportes Unificados (CEU) do bairro Progresso, e alguns suspeitos já teriam sido identificados. Segundo relatos, por volta das 15h, três indivíduos que estavam na via pública, abriram fogo contra outros três que se encontravam na praça do CEU. O trio revidou e um homem que passava nas proximidades e não tinha nenhuma ligação com o fato, acabou sendo atingido de raspão no pescoço por uma bala perdida. Ele não corre risco. Houve correria e diversas crianças e adolescentes que estavam na praça foram abrigadas nas dependências da UBS e do CRAS, juntamente com funcionários e pessoas que aguardavam atendimento.Tiroteios nestes moldes já são considerados até comuns em cidades maiores espalhadas pelo Brasil, mas por se tratar de um fato inusitado em Erechim, acabou ganhando grande repercussão.

II

Conversei com o delegado Ceccon na quarta-feira e a Defrec colocou o caso entre suas prioridades. “É uma situação nova por aqui (Erechim) e estamos trabalhando para que não se repita”, afirmou. Ao questionar Ceccon sobre a possibilidade de se tratar de uma disputa por pontos de tráfico, o delegado disse que ainda não é possível ter certeza. “Pode até ser. Sabemos que realmente se tratam de dois grupos, envolve adolescentes, mas existem casos onde tais grupos começam a brigar por bobagem e a coisa acaba tomando proporções bem maiores, então ainda não temos como afirmar que se trate de uma disputa pelo tráfico de drogas”. O delegado também descartou que o fato envolva a rixa entre famílias, que no início do ano levou pânico aos moradores do bairro Cristo Rei, resultando inclusive em homicídios. “Todos os envolvidos neste caso estão presos”, disse.

III

Também perguntei ao delegado se a investigação acaba se tornando mais difícil pelo fato de envolver menores de idade, amparados por uma Legislação com pouco ou quase nenhum dever a cumprir e o delegado lembrou um caso de homicídio onde a namorada adolescente do autor tentou assumir o crime para livrá-lo da cadeia, falou do desgaste de acabar tendo de prender várias vezes as mesmas pessoas, que sempre voltam a cometer crimes, de criminosos que terminam por processar os policiais e do esforço nas investigações devido à falta de efetivo.  Citei ao delegado o tema da minha coluna da semana passada, quando disse que “em Erechim ainda é possível andar com o telefone celular aparecendo no bolso”, diferente do que acontece em outras cidades e Ceccon foi enfático: “Queremos que seja cada vez melhor”. Qualquer infor-mação sobre os envolvidos no tiroteio ocorrido no CEU pode ser repassada para a Defrec através do telefone 3520 4575, pelo Whatsapp 054 98408 9940 ou inbox pela página no facebook da Defrec de Erechim. O nome do denunciante é mantido em sigilo.

 

Por Alan Dias

Você pode gostar também

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.