Empresários de Erechim falam sobre 2017 e projetam 2018

905

Para esta edição de Natal e Fim de Ano realizamos levantamento em várias empresas de Erechim buscando saber qual a perspectiva das mesmas para 2018 e como foi o ano de 2017. Apesar da crise econômica os empresários ouvidos alcançaram crescimento este ano e estão otimistas para o próximo.

 

AURORA

A Aurora é uma das empresas que tem um impacto direto sobre a economia regional e que só em Erechim gera mais de 2.500 empregos nas unidades da cidade. Apesar da crise econômica, ela deve alcançar crescimento maior que 12% até o final de 2017 e para os próximos dois anos projeta grandes investimentos em Erechim. Serão mais de R$ 100 milhões investidos em 2018 para ampliação do frigorífico de abate de suínos, passando dos atuais 1.600 animais/dia para 2.800, e existe a expectativa de dobrar o número de abate na unidade de aves. Com isso, a previsão é de que irá gerar aproximadamente mil novos postos de trabalho nas duas unidades. Hoje a Aurora é a 17ª maior empresa do sul do país.

 

OLFAR

A Olfar é uma das principais empresas de nossa cidade e tem impacto direto na economia de toda região norte do estado. “Hoje a Olfar gera mais de 700 empregos diretos em todas as unidades. Em 2017 a empresa investiu mais de R$ 50 milhões e teve crescimento de aproximadamente 20%. Neste ano geramos mais de 300 novos postos de trabalho em todas as nossas unidades. Com relação a novos investimentos, estão sendo reavaliados e com isso ainda não temos uma previsão de quantos novos empregos a Olfar deverá gerar em 2018”, destaca o presidente da empresa, José Carlos. Em janeiro de 2018 deverá entrar em funcionamento a Termoelétrica no complexo da empresa, na BR 153. Este foi um dos grandes investimentos feitos pela Olfar em 2017.

 

CAVALETTI

“Nossa empresa gera aproximadamente 500 empregos diretos e devemos fechar 2017 com um crescimento de 15 % no faturamento. Esperamos que 2018 seja um ano melhor que 2017,  com a queda dos juros e a inflação controlada. Acreditamos que poderemos ter um bom crescimento. Ainda não temos uma previsão de investimento para 2018, e de quantos novos empregos vamos gerar. Nesta reta final de 2017 o mercado melhorou e a produtividade também aumentou, com isso, em 2018, podemos alcançar um crescimento melhor do que neste ano e a partir daí  pensar em novos investimentos. Estamos com boas expectativas com relação ao mercado externo para o próximo ano”, diz o empresário, Mário Cavaletti.

 

TRIEL HT

“Nossa empresa gera hoje mais de 400 empregos diretos e durante 2017 abriu 30 novos postos de trabalho, alcançando crescimento próximo a 5%, em relação ao faturamento do ano anterior. Nossa expectativa para 2018 é de contratar mais de 50 novos trabalhadores. A probabilidade para o próximo ano é de um crescimento entre 10% e 15% e temos projeção de fazer um bom investimento para os próximos dois anos, mas estamos dependendo da Fepam”, afirma o diretor da Triel HT, Airton Dalla Rosa. O investimento, de R$ 17 milhões, que depende da Fepam seria a realocação das unidades do Distrito Industrial para a rodovia ERS 135, onde estão localizadas outras unidades da empresa.

 

PLAXMETAL

“Hoje estamos gerando 343 empregos diretos e este ano devemos chegar a um crescimento próximo de 53%, com relação ao ano anterior. Já para 2018, nossa previsão é de ter um crescimento superior a 20%. Como neste ano tivemos um crescimento grande, 2018 será de muito trabalho para fixar esse faturamento, e depois pensar em novos investimentos. Já os investimentos para 2018 serão bem menores, devido á ainda estarmos pagando o grande investimento que fizemos com a nova fábrica, saindo do Distrito Industrial e indo para a rodovia BR 153”, destaca o empresário Ezidio Zorzi.

 

PECCIN

“Mesmo com o cenário recessivo de 2017, podemos considerar que foi um ano bom para nossa empresa. Deveremos fechar o ano com um crescimento acima de 12% e isso só foi possível com a expansão da nossa distribuição e mais velocidade nos nossos lançamentos”, destaca o presidente, Dirceu Pezzin. Hoje a empresa gera mais de 800 empregos diretos. “Apesar da crise econômica, como acertamos com os novos lançamentos, aliando a expansão da nossa distribuição, foi possível em 2017 ampliarmos nossa equipe de trabalho. Para 2018 estamos apostando na retomada da economia e expansão dos nossos negócios, devendo ampliar ainda mais nosso quadro de funcionários. Estamos apostando para 2018 em um crescimento superior a 15%”, afirma o presidente. A Peccin deverá fazer um grande investimento no seu parque fabril em 2018, com novos equipamentos e principalmente no desenvolvimento de novos produtos.

 

COMIL

Apesar das dificuldades que a empresa enfrentou nos últimos anos, contratou em 2017 mais de 50 trabalhadores e hoje gera aproximadamente 1000 empregos diretos. “2017, foi um ano de recomeço, no qual conseguimos repor toda a estratégia da empresa para consolidar a credibilidade da Comil no mercado. Neste ano, a empresa colocou todos seus esforços no segmento de ônibus rodoviários e isso se refletiu na produção. Enquanto, historicamente, esse segmento era responsável por 40% da produção, este ano representou 60% do total de ônibus produzidos e esperamos fechar o ano com 568 ônibus rodoviários, um crescimento de 3% com relação ao ano anterior. A exportação tem sido uma boa opção para a Comil diante da redução da demanda do mercado interno. Hoje 40% da produção é para exportação. Apesar de a nova legislação ter reduzido a idade média das frotas, obrigando as empresas renovarem as suas, 2018 ainda é de muita incerteza”, diz o presidente da Comil, Deoclécio Corradi.

 

PILI HIDRÁULICOS

A Pili Hidráulicos é mais uma empresa que se consolidou em Erechim e hoje, além de prestar serviços em equipamentos hidráulicos e pneumáticos, atua no segmento de plataformas para descarga de grãos, prensas hidráulicas, equipamentos para produção de lenha, entre outros, além de possuir uma grande loja. “Hoje geramos mais de 40 postos de trabalho. Em 2017, apesar da crise, tivemos crescimento superior a 35% com relação ao ano anterior e com isso conseguimos manter os atuais empregos e gerar mais oito vagas. Para 2018 estamos com expectativa de um crescimento superior a 20% e ampliar as oito vagas de trabalho criadas este ano. A ideia para o próximo ano é investir mais em tecnologia de equipamentos. Estamos prestes a lançar um novo equipamento para coletar amostras de grãos. Devemos ainda ampliar nossa loja e também receber a certificação ISO 9001-2015 (norma de sistema de gestão da qualidade (SGQ) reconhecida internacionalmente, utilizada por organizações que desejam comprovar sua capacidade de fornecer produtos e serviços que atendem às necessidades de seus clientes e requisitos legais e regulatórios aplicáveis, com o objetivo de aumentar a satisfação do cliente por meio de melhorias de processo e avaliação da conformidade)”, conta a diretora da Pili Industrial, Márcia Pili.

 

CARLOTTO EMPRENDIMENTOS

A empresa atua na área da construção civil e nos últimos anos se destacou dentro do projeto Minha Casa Minha Vida e também em loteamentos. “A Carlotto atua em Erechim, Passo Fundo, Concórdia, Marau, Getúlio Vargas e em breve estará em Chapecó. Hoje a empresa gera mais de 120 empregos diretos e apesar da retração do mercado imobiliário, devemos crescer acima de 15%, com relação ao ano anterior”, afirma o empresário Cesar Carlotto. A Carlotto Empreendimentos é uma empresa familiar, usa um método construtivo próprio e com isso consegue entregar seus apartamentos antes do prazo estabelecido. “Para 2018 temos a expectativa de um crescimento ainda maior do que o alcançado em 2017, já que temos três grandes empreendimentos para iniciarmos no início do próximo ano: um prédio com mais de 300 apartamentos em Passo Fundo, um em Concórdia, com 160 apartamentos, e outro em Erechim, com mais de 180 unidades. Além de iniciarmos empreendimento até o final de 2018 em Chapecó”, relata o diretor presidente da empresa, Adacir Carlotto.

 

DE MARCO E ORSO

A De Marco e Orso trabalha com empreendimentos imobiliários, vem se destacando no Minha Casa Minha Vida, mas está buscando projetos além do nosso município. “Em 2017 devemos ter um crescimento acima dos 18%, comparado com o ano anterior. Trabalhamos em 205 novos apartamentos; sendo 140 em Erechim e 65 unidades em Passo Fundo. Já para 2018 a previsão é de trabalhar em 845 unidades, assim distribuídas: 24 unidades em Erechim, 600 em Passo Fundo e mais 245 apartamentos em Santa Maria”, afirma o diretor e engenheiro da empresa, Carlos Eduardo De Marco. Além de previsão para um crescimento muito superior a este ano, a expectativa é a criação de mais de 200 novos empregos para 2018.

 

Por Egidio Lazzarotto

 

Você pode gostar também

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com