Projeto de Lei Legislativo denomina artéria de Rua Augusto David Pasquali

41

Vereadores aprovaram, na noite desta segunda, 16, por unanimidade, o Projeto de Lei Legislativo de autoria do vereador Sergio Bento que denomina artéria de nossa cidade de “Rua Augusto David Pasquali – Agricultor”.

A artéria localiza-se no Lote Rural nº 60, da Linha A, Secção Paiol Grande, Rua Q, entre as Quadras 18, 19 e as Quadras 20, 21 do Loteamento Fiebig II e III, iniciando na confrontação leste do Lote Rural nº 58 até a confrontação oeste da Rua Z. A artéria é uma paralela à Rua Fernando Testa, localizada no Bairro Novo Atlântico.

 Descendente de imigrantes vindos da Itália, Augusto nasceu no dia 26 de julho de 1909, já em solo Brasileiro, mais precisamente na cidade de Veranópolis, que na época levava o nome de Alfredo Chaves. Teve sua infância e adolescência junto à família, sempre trabalhando a terra e outros serviços braçais.

Aos 18 anos, juntamente com os pais e irmãos, mudou-se para a localidade do KM 10, Povoado Argenta na cidade de Erechim, onde se firmou e escreveu a maior parte de sua história. Como a maioria dos imigrantes Italianos, o oficio deixado pelos seus progenitores foi a agricultura, e assim, viveu e sustentou a si e posteriormente a sua família.

Aos 36 anos, casou-se com a jovem, Luiza Pallaro de 26 anos, e juntos iniciaram uma linda história. Do fruto do amor dos dois nasceram oito filhos, Neiva, Orlei (in memorian), Alida, Lourdes, Leonilda, Terezinha (in memorian), Saulle e Sergio.

“Criaram seus filhos com grande dificuldade, porém sempre dando muito amor ensinaram o valor da convivência em sociedade e as tradições da época, e principalmente o respeito ao próximo e o amor a Deus. Teve uma vida sofrida, de poucos recursos, enfrentaram muitas doenças na família, mas nada que o fizesse esmorecer e perder a confiança e a servidão”.

Ajudou na Comunidade Nossa Senhora do Pedancino, onde estava inserido. Não media esforços nas realizações de festas e Eventos organizados na Igreja local. Foi voluntário, também, nos trabalhos em prol da construção do Seminário de Fátima e da Igreja Matriz São José (atual Catedral São José), pois na época eram requisitadas pessoas das comunidades, e ele prontamente se colocava a disposição para ajudar. Eram dias de trabalho em prol das festas da comunidade, desde entrar nos matos atrás de madeira para fazer espetos e demais utensílios utilizados na época, até o dia da realização do evento. Muitas vezes deixava seu próprio trabalho aos cuidados dos filhos para que pudesse estar servindo aos demais.

“Essa disponibilidade e alegria em ajudar ao próximo criou grandes laços de amizade e pelo apreço que todos tinham para com ele, era carinhosamente chamado de Davide ou o “nono do UP”, principalmente pelas crianças, pois era o cumprimento que ele usava sempre que encontrava um conhecido”.

Em 1976 mudou-se do interior do Povoado Argenta para a cidade, residindo no Bairro Bela Vista, onde até hoje parte da família, filhos, genros e noras, netos e bisnetos residem. Em 1978 e 1987 sofreu duas grandes perdas, a esposa Luiza e filho Orlei, ambos acometidos por diversas doenças, e sem condições financeiras de tratar acabaram falecendo, o que fez sofrer muito. Porém, sabendo da responsabilidade com a família e sociedade, fizeram com que ele se mantivesse firme e com coragem de seguir em frente.

Faleceu no dia 08 de julho de 1996, com 87 anos, deixando um legado imenso, não material, pois não teve muitas condições financeiras, mas sim, o maior legado que uma pessoa pode ter, de amor a família, e ajuda ao próximo, exemplo a ser seguido, que orgulha até hoje amigos, vizinhos e principalmente até a 4ª geração de sua família, que se mantém unida, sempre buscando o bem comum onde vivem.

“Quão orgulhosos e satisfeitos estamos em poder homenagear com o nome de rua em nossa cidade que ele tanto amava, e poder continuar contando sua história para as futuras gerações de nossa família. Cremos que a contribuição do Sr. Augusto David muito ajudou na formação da nossa amada Erechim, e com todos os ensinamentos que ele nos deixou, pretendemos manter firmes nela, nossas raízes”, finaliza.

Você pode gostar também

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.