Encontro de prefeitos em Getúlio Vargas debateu os conflitos indígenas de Charrua

Prefeito de Getúlio Vargas recebeu prefeitos da Região, o procurador do Estado, Rodinei Candeia, e os presidentes da Famurs e Amau

96

Inicialmente, o prefeito Mauricio Soligo, explicou que agendara o encontro com os colegas para mostrar solidariedade ao Prefeito de Charrua, Valdésio Roque Della Betta, e como forma de dar apoio e a demonstrar a preocupação de todos com os fatos que estão ocorrendo naquele município há mais de 40 dias, com uma morte e mais de 60 casas queimadas.

O prefeito de Charrua explanou para todos a atual situação do município, que está fazendo com que aulas sejam suspensas, e a apreensão da população causada pelos conflitos entre indígenas da Reserva do Ligeiro, de Charrua. “Estamos solicitando à Funai, à Polícia Federal e ao Ministério Público, mas ainda não tivemos resultados positivos para que volte a harmonia e paz entre os indígenas. Desta forma, estamos buscando o apoio de outros municípios e entidades”, declarou o prefeito Roque.

O procurador do Estado, Rodinei Candeia, em sua manifestação, prometeu dar toda atenção ao problema e buscar soluções em outras instâncias. Ele vai instalar um inquérito civil público e propor medidas efetivas de resgatar a ordem pública e cobrar uma solução do Estado, Ministério da Justiça e Funai. Sugeriu uma reunião com o Governador do Estado, Secretário de Segurança Pública do RS e Presidente da Funai. Segundo ele, o que falta na reserva é estabelecer um estado mínimo de direito, que envolve segurança, educação e saúde. “Precisamos de segurança e que os atores públicos conversem para acabar com o conflito”, destacou o procurador.

MANIFESTO DA AMAU

Os prefeitos da AMAU estiveram reunidos na manhã desta terça-feira, 3, em Assembleia Ordinária, na sede da entidade. Entre os assuntos tratados, foi abordado a questão dos conflitos indígenas da Reserva do Ligeiro. Como decisão e aprovada pelos prefeitos, foi assinada uma manifestação da AMAU, em apoio a Charrua. O teor do manifesto é de ajuda ao município de Charrua no sentido de sensibilizar o governo gaúcho e a FUNAI para que concentrem esforços para apaziguar a comunidade indígena. Pedem que o governo do Estado amplie o efetivo policial no município, instalando um posto da Brigada Miliar na Reserva Indígena.

Para a Funai, a AMAU solicita urgência no atendimento das reivindicações apresentadas pelo município, no que tange a construção imediata das casas queimadas e o aporte de recursos financeiros e humanos para auxiliar neste momento de conflito.

 

Você pode gostar também

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.