Iniciação Científica no curso de Radiologia do ICSEC

149

O Curso Técnico em Radiologia do ICSEC de Erechim, mais que um curso, uma profissão. O Técnico em Radiologia poderá atuar em diversas áreas da Radiologia. O ICSEC oferece uma proposta pedagógica que foi planejada para que o profissional atue no amplo campo do diagnóstico por imagem.

O Curso é dividido em três módulos, com aulas teórico-práticas e 400 horas de estágio supervisionado, visando a formação humana e técnica necessária para o trabalho de apoio médico. Atua nos setores de radiologia convencional, tomografia computadorizada, ressonância magnética, densitometria óssea, mamografia, radiologia odontológica e radiologia veterinária.

A carga horária aliada às disciplinas e ao excelente quadro docente – que conta com professores especialistas em diversas áreas da radiologia –, fazendo com que os alunos desenvolvam as competências necessárias para a atuação profissional. Um exemplo é a pesquisa apresentada a seguir, fruto do trabalho desenvolvido por dois alunos na disciplina de Pesquisa em Radiologia, orientados pela professora Claudia.

 

TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA PARA PLANEJAMENTO DE
IMPLANTES DENTÁRIOS

Mônica Paese*

Mayckon dos Santos*

* Alunos do Curso Técnico em Radiologia – ICSEC

Resumo: O planejamento cirúrgico em implantodontia é um procedimento de suma importância, pois facilita o diagnóstico, a instalação dos implantes e a reabilitação final. O objetivo desse artigo foi comparar a tomografia computadorizada à radiografia panorâmica, analisando os dois tipos de exames por imagem, descrevendo as vantagens e desvantagens, a fim de esclarecer qual a importância dessa modalidade de exame no planejamento de implantes dentários. A metodologia utilizada foi a pesquisa bibliográfica, por meio de uma revisão da literatura, que da qual verificou-se que as radiografias panorâmicas apresentam limitações, com distorções, sobreposições na imagem e limitação de informações. Como resultado do estudo compreendeu-se que a tomografia computadorizada apresenta medidas precisas e visão tridimensional, com qualidade de imagem e riqueza nos detalhes, podendo auxiliar o implantodontista a operar com tranquilidade e segurança.

Palavras-chaves: Radiologia. Tomografia computadorizada. Radiografia panorâmica. Implante dentário. Planejamento.

 

INTRODUÇÃO

A implantodontia é citada, em 2017, como o ápice na modernidade quando a questão é reabilitação oral, porém o sucesso do tratamento com implantes está diretamente relacionado com o planejamento. Um dos pré-requisitos importantes para se obter o sucesso com implantes é uma quantidade de osso saudável no local receptor, incluindo altura e largura adequada e suficiente. No planejamento deve-se ter conhecimento da localização dos canais, visibilidade de diferentes cortes, dimensão vertical e horizontal, com o mínimo de distorção e ampliação da imagem. Diante desta realidade, este estudo levantou a seguinte problemática: Qual a melhor técnica para a determinação da posição, eixo de inserção, número e tamanho do implante, assim também como a quantidade e qualidade do tecido ósseo e das estruturas anatômicas a fim de obter melhores resultados com implantes? Assim, este estudo tem como objetivo comparar a tomografia computadorizada e a radiografia panorâmica. Para tal, utilizou como metodologia a pesquisa bibliográfica por meio de uma revisão da literatura.

 

1 TÉCNICAS RADIOLÓGICAS NO PLANEJAMENTO DE IMPLANTES

1.1 RADIOGRAFIA PANORÂMICA

A radiografia panorâmica é uma técnica simples, rápida, de fácil execução e prontamente acessível. Uma visão panorâmica pode ser bastante útil como um meio rotineiro, pode ser feita rapidamente, mas não pode fornecer uma imagem detalhada. São usadas a fim de pesquisar a presença ou ausência de dentes, corpos estranhos, áreas de modificação óssea, entre outras (WUEHRMANN; MANSON-HING, 1977). Fornecem um excelente panorama geral da dentição e das estruturas anatômicas da face. Por sua simplicidade técnica, sua imagem depende de alguns fatores: tipo de aparelho, posicionamento do paciente e variações anatômicas.

1.2 TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA

A tomografia computadorizada é o método de diagnóstico por imagem que mais se desenvolveu nos últimos anos. Sua aplicabilidade em Odontologia vem aumentando com fins de diagnóstico, planejamento, tratamento e evolução. Tem como vantagem as construções multiplanares, permitindo a visualização de estruturas anatômicas tridimensionais, promovendo interpretações mais corretas (CAVALCANTI, 2010). Através de uma única tomada é possível obter imagens em diferentes cortes, transformar dados em imagem digital e fazer reconstrução da estrutura tridimensionalmente.

 

2 RESULTADOS E DISCUSSÕES

O método de diagnóstico no planejamento de implantes deve contar com a técnica que possibilite maior quantidade de informações com o mínimo de desconforto para o paciente no momento do exame. O profissional deverá optar pelo exame que proporcione a melhor localização de canais, qualidade e quantidade óssea, espessura e profundidade com o mínimo de distorções, evitando ao máximo erro e consequências desagradáveis.

Tomadas radiográficas baseadas nos sistemas de aquisição convencional fornecem apenas imagens com altura e largura, omitindo a visão em profundidade, necessária para o estabelecimento correto para colocação de implantes. Problemas como distorção geométrica e superposição estrutural tornam a avaliação óssea quantitativa impossível, contribuindo para lesões de estruturas e insucessos no tratamento de implantes (CAVALCANTI, 2010).

A tomografia computadorizada é um exame mais sofisticado e vem simplificar o planejamento, pois fornece todas as informações necessárias como quantidade e qualidade óssea, bem como a precisa localização de importantes estruturas anatômicas relacionadas com o local planejado para a colocação dos implantes, permite o correto planejamento da angulação e consequentemente da prótese a ser adaptada sobre este implante, permitindo um trabalho multidisciplinar e os melhores resultados para o paciente (BITTAR, 2002).

Com a imagem em três dimensões, é possível distinguir e estudar a íntima relação das estruturas anatômicas adjacentes com um eventual implante (CAVALCANTI, 2010). As imagens captadas por Tomografia Computadorizada também são versáteis, porque podem ser transferidas para um computador e manipuladas pelo cirurgião através de um software. Isso contribui para que os implantes sejam corretamente colocados e para escolha do melhor tamanho de implantes, aumentando o sucesso do procedimento, reduzindo consideravelmente a probabilidade de perda do(s) implante(s) e ajudando para que a cirurgia ocorra de maneira minimamente invasiva.

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

A partir dessa pesquisa bibliográfica, pode-se concluir que a tomografia computadorizada apresenta inúmeras vantagens comparadas à radiografia panorâmica, pois permite um planejamento virtual, facilitando o diagnóstico, fornecendo imagem de melhor qualidade, com riqueza de detalhes e em três dimensões, auxiliando os implantodontistas a operar com  tranquilidade e segurança.

 

REFERÊNCIAS

BITTAR, J.A. A utilização da tomografia computadorizada em implantodontia. [Monografia]. Pós-graduação em Radiologia Odontológica. Faculdade de Odontologia de Piracicaba. Universidade Federal de Campinas. Piracicaba, 2002, 58 p. Disponível em: <http://radiografar.com.br/artigos/Artigo_02.pdf>. Acesso em: 19 abr. 2017.

CAVALCANTI, M. Tomografia computadorizada por feixe cônico. São Paulo: Santos, 2010.

WUEHRMANN, A.H.; MANSON-HING, L.R. Radiologia dentária. 3. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1977.

 

 

 

Você pode gostar também

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com