Márcio Nunes: um treinador que resume o tamanho atual do Ypiranga

Carlão deixa o Ypiranga

201

A escolha de Márcio Nunes como treinador do Ypiranga pegou todos de surpresa, afinal, o discurso era de não fazer apostas quanto ao nome do treinador. Márcio é uma aposta ousada, arriscada, contraditória, mas segundo um dirigente, resume o atual tamanho do Ypiranga. A queda para a Divisão de Acesso, as dívidas e a falta de pagamento de alguns profissionais, estão entre os motivos que fizeram o Ypiranga perder o selo de “bom pagador”, disse o dirigente.

A lista de treinadores era extensa, com dois grandes nomes, Picolli e Benhur Pereira. A negativa de ambos fez a direção sondar outros, entre eles, Márcio Nunes. O jovem que assume o Canarinho tem experiência como jogador, mas não como treinador. Apesar de a direção não afirmar publicamente, Nunes foi um dos poucos que se submeteu a realidade financeira do clube. Para ele uma grandiosa oportunidade, um bom trabalho na Divisão de Acesso pode render uma renovação para a Série C e projeção como treinador de futebol.

O momento do Ypiranga é outro, o clube está com dívidas, sem cotas de televisão ou dinheiro da Federação Gaúcha de Futebol (FGF). Concordo com quem pensa que o Canarinho diminuiu de tamanho e precisa se adaptar a nova realidade. Não conheço o trabalho de Márcio Nunes, mas apesar da minha total desconfiança, preciso baixar a guarda e reconhecer que o Ypiranga está com a auto-estima baixa. O Internacional que é um gigante do futebol mundial também sofreu na hora de escolher um treinador, afinal, o patamar colorado em 2017 era abaixo dos demais clubes grandes.

Reconhecer seu atual tamanho é um gesto de humildade e responsabilidade de quem está à frente de um clube que precisa se reerguer em meio a um cenário nebuloso.  Um dirigente disse esta semana: “Fabio, precisamos recuperar a credibilidade do Ypiranga”. Concordo, por isso a margem de erro nas contratações precisam ser minimizadas. Acho muito arriscada a contratação de Márcio Nunes, mas também sei reconhecer que é o que tinha para o momento. Tomara que Nunes cale os críticos com resultados dentro de campo, caso contrário, o peso do insucesso vai cair sobre as costas do presidente Adilson Stankiewicz e, do gerente de futebol, Renan Mobarack.

Carlão deixa o Ypiranga

Chegou ao fim o ciclo do goleio Carlão, um dos maiores ídolos da história do Ypiranga. O jogador chegou ao clube em 2014 e de lá pra cá empilhou conquistas e conquistou o carinho do torcedor canarinho. Em 2017, depois de uma tentativa incansável de colocar o goleiro no banco de reservas, Carlão deixou o clube magoado com algumas situações ao longo da temporada. O goleiro assinou com o URT de Minas Gerais.

Por Fabio Lazzarotto

Você pode gostar também

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.