Assoeva, um adversário indigesto e perigoso na final da Liga Gaúcha de Futsal

148

I

O adversário do Atlântico na final da Liga Gaúcha de Futsal será o principal time do futsal gaúcho nesta temporada, a Assoeva. A equipe de Venâncio Aires vive o melhor momento de sua história após, chegar pela primeira vez na final da competição. A Assoeva não chegou tão longe por acaso, se organizou para estar onde está. Não é de hoje que o clube vem montando bons times e chegando próximo dos seus objetivos. A Assoeva se assemelha muito ao Galo de alguns anos atrás, quando montava bons times, mas na hora do vamos ver, sucumbia diante de times de camisa.

II

Após conquistas no certame gaúcho pela primeira vez, o Atlântico passou a empilhar títulos na sua galeria de troféus, tornando-se um dos principais e mais tradicionais clubes do futsal brasileiro. A Assoeva está no caminho do verde-rubro, mas ainda sofre com a ausência de títulos. Em pouco menos de quinze dias, o clube de Venâncio Aires pode conquistar dois e mudar de patamar. Por outro lado, pode sofrer uma gigante reversão de expectativas nos próximos dias.

III

Na Liga Nacional de Futsal estarei na torcida para que a Assoeva conquiste o caneco e, traga para o Rio Grande do Sul a hegemonia do futsal brasileiro. Já no campeonato estadual, confio no time do Atlântico para superar a febre-amarela e conquistar mais um título. É bem verdade que o Galo é uma touca do clube de Venâncio Aires. Nas últimas temporadas, a Assoeva até venceu alguns jogos do Atlântico, mas na hora das partidas decisivas eles sucumbem, como nós sucumbíamos diante da ACBF de Carlos Barbosa há alguns anos.

IV

O grupo de jogadores da Assoeva é o melhor que já foi montado em toda sua história. Em 2017 o clube está disposto a tirar o rótulo de time que sucumbe na hora das decisões. Mas como o Galo não tem nada a ver com isso, à direção verde-rubro e a comissão técnica têm trabalhado incansavelmente para manter o grupo mobilizado para os jogos finais, pois o última partida aconteceu no dia 11 de novembro, contra o América de Tapera, pela semifinal da Liga Gaúcha. É muito tempo sem jogos oficiais.

V  

Quando escrevo que a direção e comissão técnica estão trabalhando incansavelmente para manter o grupo de jogadores mobilizados, é porque a grande maioria dos atuais jogadores do grupo verde-rubro não permanecerá para a próxima temporada. Por outro lado, os jogadores sabem que faltam apenas dois jogos para colocar no seu currículo mais um título. O desafio para conquistar o quarto título gaúcho será grande, mas acredito que o grupo tem qualidades suficientes para manter a hegemonia do futsal gaúcho.

Por Fabio Lazzarotto

Você pode gostar também

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.