Participação especial de pessoas com deficiências na novena de Fátima

207

Pe. Maicon Malacarne, vigário paroquial da Catedral São José e coordenador diocesano de pastoral, acompanhado pelo diácono Almir Bornelli e seminaristas, presidiu o terço e a missa das 14h do segundo dia da novena de Fátima no Santuário.

A celebração contou com a presença de 90 pessoas do Rosário Perpétuo de Campinas do Sul, outras caravanas do interior, como de Rio Azul, catequizandos de Barão de Cotegipe que entraram na frente da imagem de Fátima junto com o Pe. Jóssi Golembiewski, vigário paroquial daquela paróquia. Mas participação especial foi a de pessoas com deficiências e diversas de suas instituições. Uma criança autista com sua mãe entronizou o livro da Palavra de Deus, por expressiva coincidência no último dia do mês da Bíblia, festa de São Jerônimo, grande estudioso e tradutor da mesma. Uma pessoa cega fez a leitura da missa em Braile.

A partir do enfoque do dia, Fátima, exortação à conversão e à penitência, a leitura foi do profeta Joel, que exortava a volta do coração para Deus e o evangelho falava da pregação de João Batista, a quem diversos grupos perguntavam o que deviam fazer para viver a conversão que ele propunha para acolher o enviado de Deus. Pe. Maicon valeu-se da pergunta para sugerir aos presentes: o que devemos fazer em relação às pessoas com deficiências? Apontou três atitudes: promover sua inclusão plena na Igreja e na sociedade; garantir acessibilidade em todos os espaços, de igrejas e de outros locais e superar o conceito de que elas são incapazes. Citou como exemplo, a pessoa que fez a leitura da missa em braile, Kelen Cristina Brondani, que não enxerga, mas lê muito bem. Concluiu enfatizando que a exortação à conversão do coração do profeta Joel é também assumir atitudes de inclusão, acessibilidade e desmistificação em relação às pessoas com deficiências.

Você pode gostar também

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.